Organização dos Grupos de Trabalho do 4ENHPG e do 2ENGH

A comissão organizadora do IV Encontro Nacional de História do Pensamento Geográfico (IV ENHPG) e para o II Encontro Nacional de Geografia Histórica (II ENGH) divulgou a lista como todos os grupos de trabalho do evento e seus respectivos coordenadores. Também as salas onde ocorrerá cada grupo de trabalho. capa

ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS DE TRABALHO (GTs)
Prezados e prezadas encontristas.
É com imensa satisfação que anunciamos a proximidade do IV Encontro Nacional de História do Pensamento Geográfico e do II Encontro Nacional de Geografia Histórica. Aproveitamos para, desde já, agradecer a todos que atenderam ao nosso convite de proposição de trabalhos para os referidos Encontros. Agradecemos, ainda, a colaboração na edificação do caminho que percorremos, há mais de um ano, na preparação deste evento.
A seguir apresentamos os trabalhos aprovados para o IV Encontro Nacional de História do Pensamento Geográfico (IV ENHPG) e para o II Encontro Nacional de Geografia Histórica (II ENGH). Ao mesmo tempo, enviamos algumas orientações básicas sobre o funcionamento dos GTs
a) Todos os GTs ocorrerão nas tardes dos dias 06 (terça-feira), 07 (quarta-feira) e 08 (quinta-feira) de dezembro de 2016, entre 14:00 e 18:00, nas salas do terceiro andar do COLTEC/UFMG. (em razão do número de trabalhos inscritos em cada GT, alguns dos GTs poderão finalizar suas atividades em menos dias);
b) Como todos observarão nas páginas seguintes, foi necessário fazer a aglutinação de alguns Grupos de Trabalhos (ver as tabelas a seguir);
c) Cada GT terá de dois a três coordenadores que, juntamente, com os participantes do GT, organizarão a dinâmica das apresentações dos trabalhos e os debates;
d) Cada GT terá monitores (discentes de graduação/pós-graduação) para auxiliar na resolução de pequenos problemas. Para que possamos cumprir de forma adequada nossos horários, solicitamos a todos os participantes que cheguem um pouco mais cedo à sala de apresentação para que seja possível a realização de testes de compatibilidade entre o notebook (pen-drive), de cada um, e o equipamento de projeção. (as salas estarão abertas a partir das 13:40 h);
e) Por segurança, sugerimos que todos tragam uma cópia do trabalho a ser apresentado em pen drive, em formato PPT e em formato pdf;
f) Haverá uma lista de presença em cada sala, que deverá ser assinada por todos os participantes (coordenadores, monitores, apresentadores, ouvintes) nos três dias de trabalho, pois os certificados serão gerados a partir das listas de presença (em razão do número de trabalhos inscritos em cada GT, alguns dos GTs poderão finalizar suas atividades em menos dias);
g) Para efeito de certificação, cada participante deverá comparecer ao GT em pelo menos 02 (dois) dias de realização dos trabalhos, perfazendo 66% de presença no GT escolhido (em razão do número de trabalhos inscritos em cada GT, alguns dos GTs poderão finalizar suas atividades em menos dias);
h) A secretaria geral do evento funcionará, em horário comercial, entre os dias 30/11/2016 (quarta-feira) e 09/12/2016 (sexta-feira). O número da sala é 231 (segundo andar – corretor da eletrônica). Para quaisquer esclarecimentos favor falar com Larissa P. Campos pelo telefone (31) 3409-4946 ou pelo e-mail 4enhpg.2engh@gmail.com
i) Na página do evento serão disponibilizados o caderno completo dos resumos e a programação; na bolsa, que será entregue no momento do credenciamento, apenas serão disponibilizados o caderno da programação, caneta, bloco de notas e crachá, o qual solicitamos seja utilizado para melhor identificação dos participantes por parte dos seguranças do campus e do prédio, no qual será realizado o evento.
Atenciosamente,
Comissão Organizadora.

trabalhos_aprovados_ivenhpg_iiengh_atualizado-1

trabalhos_aprovados_ivenhpg_iiengh_atualizado-11trabalhos_aprovados_ivenhpg_iiengh_atualizado-12trabalhos_aprovados_ivenhpg_iiengh_atualizado-13trabalhos_aprovados_ivenhpg_iiengh_atualizado-14trabalhos_aprovados_ivenhpg_iiengh_atualizado-15trabalhos_aprovados_ivenhpg_iiengh_atualizado-16trabalhos_aprovados_ivenhpg_iiengh_atualizado-17trabalhos_aprovados_ivenhpg_iiengh_atualizado-18trabalhos_aprovados_ivenhpg_iiengh_atualizado-19

O arquivo com essas informações pode ser baixado abaixo:

trabalhos_aprovados_ivenhpg_iiengh_atualizado-1

DIVULGAÇÃO DA LISTA DE TRABALHOS APROVADOS/GRUPO DE TRABALHO 4º Encontro Nacional de História do Pensamento Geográfico e 2º Encontro Nacional de Geografia Histórica

A Comissão Organizadora do IV ENHHPG & II ENGH divultou a relação dos trabalhos aprovados, com os autores e títulos dos trabalhos por Grupo de Trabalho, bem como as sala em que os mesmo serão apresentados:

Essa mesma relação será disponibilizada no site do evento http://www.coltec.ufmg.br/ivenhpg/index.html
trabalhos_aprovados_ivenhpg_iiengh

Balanço de participação do Grupo de Estudos e Pesquisas de Geografia Histórica na Agenda Acadêmica da UFF 2016

Entre os dia 13 a 23 de outubro de 2016, ocorreu a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, cujo tema fora, “Ciência Alimentando o Brasil”. Durante esta semana, ocorreu o que se chama de Agenda Acadêmica da UFF, onde estudantes participaram de uma sucessão de eventos que tinham por intuito apresentar pesquisas e atividades desenvolvidas dentro da Universidade. Dentre estes eventos, está a XIX Semana de Monitoria, no qual o Grupo de Estudos e Pesquisas de Geografia Histórica esteve presente através da participação da aluna e monitora, que tem suas ações integradas ao Geohistórica, Pâmela Souza Cruz, estudante de graduação em Geografia, orientada pelo professor Marcelo Werner da Silva.

O projeto apresentado na Semana de Monitoria fora intitulado: Suporte Teórico Para Estudantes de Geografia e refere-se a monitoria das disciplinas Sociedade e Natureza, durante o primeiro semestre de 2016, ministrada pelo professor Marcelo Werner aos alunos de Geografia do 1º período, e Teorias da Geografia referente ao segundo semestre de 2016. A disciplina de Sociedade e Natureza procurou tratar das principais visões de mundo, assim como, as relações Homem x Meio durante as distintas fases históricas. Já a disciplina de Teorias da Geografia, busca trabalhar a percepção acerca dos principais conceitos geográficos, como Paisagem, Lugar, Território, Espaço e Região.

Esta participação foi a primeira da aluna enquanto monitora, na qual tinha como atribuições realizar atendimento semanais aos alunos, desenvolver estratégias para o melhor aprendizado dos mesmos, produzir material didático de auxílio e de apoio relacionado aos conceitos geográficos, em especial, o conceito de Paisagem, pesquisado atualmente, onde dedica-se atenção às obras de Carl Ortwin Sauer, tendo também, rendido o artigo “A Circulação Implícita no Artigo A Morfologia da Paisagem de  Carl O. Sauer”.

Grupo de Estudos e Pesquisas de Geografia Histórica no III CONEPE – Congresso de Ensino, Pesquisa e Extensão

O Grupo de Estudos e Pesquisas de Geografia Histórica esteve presente no III CONEPE – Congresso de Ensino, Pesquisa e Extensão, realizado pelo IFF – Guarus, em Campos dos Goytacazes – RJ, com a participação da integrante do grupo, e estudante de mestrado em Geografia da UFF, Mariana Machado Tavares, orientada pelo professor Dr. Marcelo Werner da Silva.

O trabalho apresentado faz parte da pesquisa desenvolvida pela mestranda, que estuda a favela como um território de resistência, produzido socialmente por grupos que fazem e refazem a cidade mesmo diante das adversidades. Com o título FAVELAS: TERRITÓRIOS DE RESISTÊNCIA QUE VÃO ALÉM DOS ESTEREÓTIPOS, o trabalho visa discutir a favela pela visão dos seus moradores, identificando quem são estes atores sociais, como eles enfrentam os desafios da vida cotidiana e territorializam o espaço onde vivem. A pesquisa pretende dar visibilidade a estes cidadãos alijados dos seus direitos e marcados pelo estigma, que influencia as suas atividades diárias. Entendemos que a favela é um espaço de relações, trocas e valorização simbólica, muito além dos estereótipos e do preconceito.

Para o estudo, elegeu-se a favela Baleeira, presente no espaço urbano de Campos dos Goytacazes – RJ e um dos procedimentos é a busca de documentos que resgatem a história desta favela para a compreensão da sua formação socioespacial e da sua presença na cidade.

Grupo de Estudos e Pesquisas de Geografia Histórica na Mostra de Pós-Graduação I IFF – UFF e XVI UENF

O Grupo de Estudos e Pesquisas de Geografia Histórica da UFF – Campos dos Goytacazes/RJ, foi representado na Mostra de Pós-Graduação que ocorreu na Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) no dia 19/10/2016, através da pesquisa A FAVELA BALEEIRA NO CONTEXTO URBANO DE CAMPOS DOS GOYTACAZES NA VISÃO DE SEUS MORADORES, que está sendo desenvolvida por Mariana Machado Tavares, integrante do grupo, aluna do mestrado em Geografia da UFF – Campos e orientanda do professor Dr. Marcelo Werner da Silva, coordenador do grupo.

A pesquisa apresentada tem como objetivo geral compreender a favela Baleeira no contexto urbano a partir da visão dos seus moradores, investigando como estes reagem diante dos desafios da vida cotidiana e se relacionam com o Estado, o poder local e outros habitantes da cidade.

Um dos procedimentos desta pesquisa é o trabalho com documentos que resgatem a memória da favela Baleeira, a fim de conhecermos e evidenciarmos a sua formação  socioespacial histórica.

Geohistórica no III Seminário de Pesquisa em Geografia da Universidade do Minho, Guimarães, Portugal

O Grupo de Estudos e Pesquisas de Geografia Histórica participará do III Seminário de Pesquisa em Geografia, que está sendo organizado pela Universidade do Minho, localizada em Guimarães, Portugal. O evento que está sendo organizado pelo Prof. Francisco Costa, da Universidade do Minho do Departamento de Geografia da UMinho, se realizará no campus de Azurém no dia 4 de novembro do corrente ano.

Neste evento, o coordenador do Geohistórica, Marcelo Werner da Silva, participará da mesa redonda “Ensino e investigação em Geografia” e coordenará a mesa redonda “Pesquisa aplicada em Geografia” – Contributos da UFRJ/USP.

Abaixo o cartaz do evento e a programação completa.

iii-simp%c2%a6sio-poster-1

iii-simp%c2%a6sio-poster-2

Programação completa do evento:

III SIMPÓSIO DE PESQUISA EM GEOGRAFIA
UNIVERSIDADE DO MINHO – UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO – UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
Dia 04/11/2016
PROGRAMA
9.00 – Sessão de Abertura
9.15 – Mesa redonda “Ensino e investigação em Geografia”
Intervenientes: António Vieira (UMinho), Adriano Troleis (UFRGN/UMinho), Marcelo Werner (UFF) e Gisele Cordeiro (SME RJ)
Moderação: Maria José Caldeira (UMinho)
10.45 – Intervalo
11.00 – “Pesquisa aplicada em Geografia” – Contributos da UFRJ/USP
– Nivea Vieira (USP) – “Mutações do trabalho no agronegócio brasileiro: técnica e espaço na cadeia carne-grãos de Mato Grosso”.
– Ana Araújo (UFF) – “Avanços e retrocessos: política cultural e a gestão das cidades históricas brasileiras”.
– Aldenilson Costa (UFRJ) – “Cidade pequena na era das redes: local e global?”.
Moderação: Marcelo Werner
12.00 – “Pesquisa aplicada em Geografia” – Contributos da UMinho
– Catarina de Almeida Pinheiro (UMinho) – “Análise comparativa das mudanças do ambiente térmico em Braga e Guimarães (1984-2014) resultado processo de urbanização difusa”.
– Maria Fernanda Pacheco (UMinho) – “Património hidráulico em domínio público hídrico – um contributo para a definição e valorização de uma rota turística no vale do rio Cávado”.
– Bernardo Brasil Bielschowsky (UFSC(UMinho) – “As transformações da paisagem: estudo comparado entre o Vale do Ave em Portugal e o Vale do Itajaí/SC no Brasil”.
Moderação: António Bento-Gonçalves
14.00 – Visita de estudo “O Vale do Ave: Território, Paisagem e Património”.
I. Centro Urbano de Vizela
1- Enquadramento geográfico
2- Os usos da água
– Perspetiva histórica
– A moagem
– O linho
– A serração de madeira
– As fábricas de fiação e tecidos
3- Os problemas ambientais
– A poluição industrial
– O SIDVA
4- As cheias em espaço urbano
– Factores regionais e locais
II. Parque das Termas (Vizela)
1. As nascentes
– Breve quadro histórico das Termas de Vizela
– Geologia local
2. O aproveitamento hidroelétrico
– O açude
– A central
– Usos associados
III. A barragem da Queimadela (Fafe)
A Barragem da Queimadela é o grande núcleo de investimento turístico promovido pela autarquia, uma albufeira iniciada em Junho de 1991 e inaugurada em 1993 e cuja execução ascendeu a 2 milhões de euros, comparticipada pela Comissão das Comunidades no âmbito do Programa Operacional do Vale do Ave. Com uma área de albufeira de 11 hectares, o empreendimento dispõe uma importante valência na área do lazer, da pesca e da prática de desportos náuticos não poluentes. Aos fins-de-semana e no Verão é enorme a frequência deste remansoso espaço de turismo e lazer, para passar horas de tranquilidade e contacto profícuo com a natureza. A atração turística está a ser potenciada pela inauguração do Parque de Campismo e com percursos pedestres de interesse ambiental. A Barragem tem igualmente
como função o abastecimento de água ao concelho, pelo sistema de gravidade. Até ao ano 2010, abastecendo 75% da população do concelho, sobretudo nas zonas de maior densidade populacional e maiores consumos.
Uma terceira valência, para além do abastecimento de água e valorização turística, será a produção de energia elétrica, através de um pequeno aproveitamento em mini-hídrica.
IV. A ETA da Queimadela (Fafe)
No que diz respeito ao Sistema de Abastecimento de Água, o concelho de Fafe será servido pelos Sistemas de Queimadela e do Rabagão. O abastecimento de água ao concelho será efetuado não só através da ETA de Queimadela, com captação e barragem construída no Rio Vizela, na freguesia de Queimadela, mas também da ETA do Rabagão, a construir na freguesia de Campos, concelho de Vieira do Minho. Os sistemas foram desenhados tendo em consideração a origem e os aglomerados a servir. Deste modo, o Sistema de Queimadela, que servirá no horizonte de projeto cerca de 58 700 habitantes, será composto por dois sub-sistemas: o sub-sistema Nascente, que atenderá a parte Este do concelho, incluindo a cidade de Fafe, e o sub-sistema Poente, que irá abastecer os aglomerados localizados na parte Oeste deste município.
V. O aproveitamento hidroelétrico de Santa Rita e Museu da eletricidade (Fafe)
1. O açude
2. A tomada de carga e as comportas
3. O canal de alimentação
4. A Câmara de carga
5. A conduta forçada
A Central Hidroelétrica de Santa Rita, que aproveita as águas do rio Vizela, foi inaugurada em 5 de Outubro de 1914, no quadro do triunfalismo republicano, constituindo uma das primeiras centrais da região a produzir energia para iluminação pública
O sistema de aproveitamento hidráulico desta central, embora fosse na época um indiscutível sinal de modernidade, não deixava de ser idêntico a sistemas mais rudimentares em que levadas permitem autonomizar os moinhos e engenhos dos cursos naturais de água e ter controlo sobre a força motriz produzida. O seu sistema de funcionamento é o seguinte:
1. A água é captada no rio através do sistema de tomada de carga e conduzida pelo canal de alimentação até à câmara de carga. Este canal tem um pequeno declive que permite que a água o percorra tranquilamente.
2. Na câmara de carga ou depósito de decantação, a água é liberta de sujidade e conduzida para a conduta forçada (subterrânea) até à turbina.
3. A turbina aproveita a força da queda da água para transformar a energia mecânica produzida em energia elétrica. Uma vez turbinada, a água é reconduzida ao leito do rio.
Este local foi criteriosamente escolhido para a implantação deste aproveitamento hidroelétrico. O curso natural do rio permite uma boa diferença de cotas entre a tomada de carga a montante e a turbina instalada no edifício da central a jusante. A central está implantada junto a uma pequena povoação, na margem direita, com vestígios de alguns engenhos hidráulicos

 

Geohistórica na Semana de Monitoria GRC/SFC 2016

O Grupo de Estudos e Pesquisas de Geografia Histórica (GEOHISTÓRICA) participará da Semana de Monitoria GRC/SFC 2016, com a apresentação do trabalho de monitoria de Pamela de Souza Cruz, que apresentará o projeto “Suporte Teórico para Estudantes de Geografia”. As apresentações acontecerão na segunda-feira, 17/10 na sala 102 do bloco F.

A escala de apresentação aparece abaixo:

monitoria

I Seminário de Integração do LABCULT e do GEOHISTÓRICA

O Grupo de Estudos e Pesquisas de Geografia Histórica (GEOHISTÓRICA) convida a todos para o I SEMINÁRIO DE INTEGRAÇÃO DO LABCULT E DO GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS DE GEOGRAFIA HISTÓRICA que ocorrerá conjuntamente com o II ATELIER DE PESQUISA DO LABCULT. A organização é conjunta entre o GEOHISTÓRICA e o LABOCULT (Laboratório Cultura, Planejamento e Representações Espaciais), coordenado pela profa. Elis de Araujo Miranda, ambos vinculados ao Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPG/UFF) e ao Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, Ambiente e Políticas Públicas (PPGDAP/UFF), ambos vinculados ao Instituto de Ciências da Sociedade e Desenvolvimento Regional da UFF/CAMPOS.

O evento ocorrerá neste sábado, 11/06/2016 a partir das 9 horas no Auditório da UFF/CAMPOS, sito à Rua José do Patrocínio, 71 – Centro, na cidade de Campos dos Goytacazes/RJ.

No evento serão apresentadas as pesquisas em andamento dos dois laboratórios e que podem ser conferidas no material em anexo.

Contamos com a participação de todos!

cartaz

Abaixo o folder do evento:

lab cult graffiti.compressed (2)

lab cult graffiti.compressed (2)(1)

O caderno de resumos:

CADERNO DE RESUMOS DO I SEMINÁRIO DE INTEGRAÇÃO DO LABCULT E DO GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS DE GEOGRAFIA HISTÓRICA e do II ATELIER DE PESQUISA DO LABCULT